11129278

11129278

domingo, 29 de março de 2009

Amaro Lafayette - O Mauá dol Moxotó





Amaro Pereira Lafayette – O Mauá do Moxotó
.............

Da estirpe do Visconde de Mauá e do “Coronel Delmiro Gouveia”, foi Amaro Lafayette o mais importante empreendedor da região do Moxotó em Pernambuco, no início do século passado, como Homem de Negócios e Capitão de Indústria, porém, com atuação numa ampla área que abrangia os municípios vizinhos de Sertânia em Pernambuco e mais além, no seu Estado natal – a Paraíba.
Homem extraordinário, foi Farmacêutico, Fazendeiro, Negociante, Político e Industrial, foi responsável por intensa atuação nessa parte do sertão pernambucano. Ao lado da sua Farmácia de manipulação e produção de remédios, medicamentos e águas de cheiro, exercia também a compra e venda de peles, algodão e outros produtos da agro-indústria e ainda a fabricação de doces.
O futuro empreendedor sertanejo nasceu no dia 13 de agosto de 1876 no município de Monteiro – PB, desde muito jovem revelou-se um ativo homem de visão, ao empregar-se no estabelecimento comercial do abastado comerciante – Coronel Francisco de Torres que viria, tempos depois, tornar-se seu sogro após seu casamento com Dona Leopoldina Torres. Estabelecendo-se inicialmente com uma Tipografia em Monteiro, logo ultrapassando os limites da Paraíba, instalou-se na cidade dos Palmares na região da Mata Sul de Pernambuco. Por motivos de saúde, transferiu-se para a cidade de Sertânia estabelecendo-se com Tipografia, Casa Comercial de tecidos, perfumaria e miudezas, Farmácia de manipulação e produção de medicamentos, Bolandeira, Fábrica de doces e produtor agro-pecuário. Expandindo seus negócios, estabeleceu uma farmácia em Rio Branco, hoje Arcoverde e Fazendas em Geritacó, Algodões e no Distrito de Cimbres em Pesqueira.
Muitos dos seus produtos eram conhecidos em todo o Nordeste, tais como: Elixir de Antipirina (antitérmico), Pílulas do Mato (Intestinos) e o Vinho São Gabriel (fortificante), do ramo farmacêutico. Entre outros produtos da agroindústria, produziu os doces “Cruz Vermelha” e “Samaritana”, e o licor Pipermina e a Aguardente Melindrosa.
Foi Prefeito do Município de Sertânia, um dos fundadores do Clube dos 50 e com o seu irmão Coronel Joaquim Lafayette, da cidade de Monteiro, fundou o primeiro Jornal de Sertânia – A Paz.

Para honra do seu admirável nome e de sua obra e orgulho dos seus descendentes, o Capitão Cirurgião do 61º Regimento de Cavalaria da Guarda Nacional de Alagoa de Baixo, (sua verdadeira patente), Amaro Pereira Lafayette, legou os seguintes filhos:
Maria do Carmo Torres Lafayette, casada com o Dr. Honório Costa Monteiro;
Leonor Torres Lafayette, casada com o Sr. José Nobre Formiga;
Demócrito Torres Lafayette, casado com Isbela Amaral Videira Lafayette;
Sebastião Torres Lafayette, casado com Antonieta de Siqueira Lafayette;
Raul Torres Lafayette, casou-se duas vezes. A primeira com Maria Alice Gomes Lafayette
e após enviuvar com Teófila Gomes Lafayette;
José Torres Lafayette, casado com Olívia Torres Lafayette;
Marieta Torres Lafayette, solteira;
Inalda Torres Lafayette, casado com o Sr. Geraldo Valente do Rio de Janeiro.
...................

Marcos Cordeiro - Olinda, janeiro de 2009.

8 comentários:

  1. Fiquei impressionada com o perfil, o espírito empreendedor e a importância de Amaro Lafayette para o Moxotó e todo o Sertão pernambucano e paraibano. Não é à tôa que ele tenha deixado em seu rastro a figura ilustre, digna, inesquecível e amada de seu filho Raul Lafayette. Ex-prefeito de Sertânia, eterno médico da cidade e generoso amigo dos pobres...

    ResponderExcluir
  2. Oi Marcos,
    Adorei sua pesquisa sobre a vida de Vovô, e fico muito feliz com o comentário de KK sobre papai, mas vc esqueceu de mamãe, a esposa de Tio Demócrito é Isbela Videira e o de Tia Inalda Geraldo Valente...
    Muito gratificante fazer ser neta de algué como foi meu avô, ser fiha de Raul Lafayette e irmã e Marcelo lafayette!!! Fiquei sabendo através dos Lafayettes do RJ, primos!!!!
    PARABÉNS!!!
    MUITO OBRIGADA!!!! De coração!!!
    bj!!!
    Taciana

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelas informações sobre amaro lafayette, eu sou bisneto de dona maria do carmo torres lafayette, e estava procurando informações sobre a família... Este compendio me ajudou muito!

    ResponderExcluir
  4. Sou neta de Maria do Carmo e Honorio da Costa Monteiro, tenho muito orgulho deles e agora mais ainda,só sabia que meu bisavo era de Sertania e se chamava Amaro

    ResponderExcluir
  5. Por um lamentável lapso, troquei o nome da esposa do Dr. Demócrito Lafayette e não completei o nome do Sr Geraldo "Valente" por não ter conseguido a informação. Peço desculpas aos que se sentiram ofendidos e ao mesmo tempo protesto contra os termos grosseiros e chulos de alguns comentários deles. Comunico ainda que o Sr. Geraldo Valente, por desconhecer a importância de Amaro Lafayette, cometeu uma grave perda para a historiografia desse grande empreendedor, quando queimou em Sertânia muitos “papéis velhos” importantíssimos do acervo da família. Essa informação foi prestada por uma neta do biografado – Sra. Telma Lafayette Valença.
    Marcos Cordeiro

    ResponderExcluir
  6. Fiquei muito feliz com o perfil de meu avó. Sou filha de Maria do Carmo e Honório da Costa Monteiro. Marcos muito obrigada por seu interesse pela minha família. Eu moro na UFRRJ onde meu pai foi professor. Gostaria de manter contato com meus familiares.
    Oi Monica obrigada pela sua lembrança. Beijos

    ResponderExcluir
  7. As "pílulas do mato", que têm seu nome original como Pílulas de Matos, foi criada por Joaquim de Abreu Matos, meu Tataravô. Existe algum erro na tua pesquisa.

    Abraço,

    Marcos Matos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu citei "do Mato" no sentido de mato, herva, planta.

      Excluir